PF suspeita que Temer lavou propina em imóveis da família

PF suspeita que Temer lavou propina em imóveis da família

Foto: Reprodução/Agência Brasil

Após seis meses investigando o presidente Michel Temer em um inquérito aberto pelo Supremo Tribunal Federal (STF), a Polícia Federal suspeita que Temer tenha lavado dinheiro de propina ao pagar reformas em casas de familiares. Ele teria realizado transações imobiliárias em nomes de terceiros para ocultar bens. Dentre os proprietários dos imóveis estão sua esposa, Marcela Temer, e o filho do casal. O presidente teria recebido ao menos R$ 2 milhões em propina por meio do coronel João Baptista de Lima Filho, em 2014, ano em que Temer foi reeleito vice-presidente na chapa Dilma Rousseff, duas reformas foram realizadas em propriedades de familiares de Temer, de sua filha, Maristela Temer, e de sua sogra, Norma Tedeschi. Para a PF, o dinheiro teria origem nas empresas JBS e uma empresa contratada pela Engevix. Um dos sócios da Engevix, José Antunes Sobrinho, em proposta de colaboração, disse ter sido procurado por Lima com um pedido de R$ 1 milhão para a campanha do emedebista, também em 2014. O esquema no setor portuário teria começado há mais de 20 anos, pela linha do inquérito, e ido até o mês de maio do ano passado, pelo menos. A PF fez um pedido de prorrogação de 60 dias para continuar investigando o presidente.

Fonte: Bahia Notícias

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*