Mourão reafirma que Lula não vence em 2022: ‘Ele é analógico, nós somos digitais’

WALLACE MARTINS/FUTURA PRESS/ESTADÃO CONTEÚDO
Mourão também foi questionado sobre a possibilidade do governo ser responsabilizado por ter estimulado o uso da cloroquina

O vice-presidente da República, Hamilton Mourão, acredita que o ex-presidente Lula não é capaz de vencer uma eleição. Para o general, o petista é um politico velho, maniqueísta e que teria que mudar muito para convencer a população de que poderia comandar o pais novamente. Mesmo com a decisão do ministro do STF Edson Fachin, que anulou as condenações e enviou os processos do ex-presidente para serem julgados na justiça federal de Brasília, Mourão afirma que está comprovado que Lula se envolveu em atos de corrupção e lavagem de dinheiro. Para o vice presidente, esses são os fatos. O resto, nas palavras dele, é conversa mole.

“O Lula de sempre, né? Maniqueísta. Um politico velho. Velho não na idade, mas de velhas ideias. Lula é analógico, nós somos digitais. É isso que está acontecendo. E independente do que ele fale ou deixe de falar, está comprovado em três instâncias que ele se envolveu em atos de corrupção, lavagem de dinheiro, etc. Isso não vai ser apagado. O resto é conversa mole.” O vice presidente diz não ter visto uma mudança de postura por parte da alta cúpula do governo federal após o discurso do ex-presidente na quarta-feira, 10.

Logo após a fala do petista, o presidente Jair Bolsonaro e ministros que raramente utilizam máscaras apareceram em publico utilizando o equipamento de segurança. Mourão afirma, no entanto, que o governo sempre fez o que podia para diminuir o impacto da pandemia e dar exemplo para os brasileiros. “Na nossa forma de pensar, não compete ao governo causar pânico. Compete ao governo tomar medidas necessárias para que se resguarde a saúde da população e sua capacidade de gerar renda para que possa se manter. Essa é a competência do governo. Não pode fazer discurso de pane porque isso é pior. Então o governo fez o seu trabalho. O restante é muita conversa e que não leva a nada.”

Mourão também foi questionado nesta quinta-feira, 11, sobre a possibilidade do governo ser responsabilizado por ter estimulado o uso da hidroxicloroquina. Isso tem acontecido nos EUA, onde não só a Casa Branca mas também planos de saúde que recomendaram medicamentos para tratamento da Covid-19 têm sido processados. O vice-presidente disse acreditar que isso não acontecerá por aqui e lembrou que tomou a cloroquina quando diagnosticado com a doença.

*Com informações do repórter Antônio Maldonado

jovempan.com.br