Moro agora vai lidar com ‘O Mecanismo’ sob a ótica do outro lado

Moro agora vai lidar com 'O Mecanismo' sob a ótica do outro lado

Foto: Marcelo Camargo/ Agência Brasil

Já é possível tratar Sérgio Moro como ex-juiz? Formalmente, ele ainda segue na 13ª Vara Federal de Curitiba. No entanto, ao aceitar o convite do presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL) para o Ministério da Justiça, um dos símbolos da Operação Lava Jato assume de vez a politização de seus atos. E mesmo que tenha sido uma vitória relevante para o novo presidente, é também um excelente argumento para aqueles que acusam o magistrado de agir por inclinações políticas.

 

Moro não é um herói. Também não é um vilão. No entanto, ao integrar o primeiro escalão sob a promessa de um superministério, cedeu à vaidade e à mosquinha azul do poder. Ainda que legitimando a ideia de combate à corrupção, uma das bandeiras da campanha de Bolsonaro, o juiz não conhece exatamente o funcionamento de “O Mecanismo” – para parafrasear a série que transformou a Lava Jato em ficção – do ponto de vista de quem integrou o Executivo e o Legislativo. Por mais que tenha julgado e conhecido os processos por trás da máquina, Moro jamais a integrou. E precisará se acostumar rápido para não ser sugado no turbilhão político de Brasília.

 

Existe ainda a perspectiva de que o Ministério da Justiça seja um trampolim para que Moro chegue ao Supremo Tribunal Federal. O ex-juiz tem notório saber jurídico e precisará jogar para garantir a chegada à Suprema Corte por méritos não apenas técnicos – a política é importante para chegar ao posto e irá Moro se submeter aos ditames dessa disputa? E, se decidir jogar o jogo dos “colegas”, vai manter a mesma avaliação positiva entre os brasileiros? De pedra, o magistrado se tornou vidraça.

 

Do outro lado, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e os aliados vão usar e abusar do questionamento quanto ao distanciamento necessário de um magistrado que fez movimentos praticamente partidários quando ainda togado. Moro deu espaço para tanto e precisará contra-argumentar de maneira convincente para que não adote a retórica tão comum para os agentes políticos.

 

Bolsonaro acertou em cheio em trazer o símbolo da Lava Jato para o seu lado. Já Moro, somente o tempo irá dizer…

 

Bahia Notícias