Presa fácil! Flamengo mantém Vasco na ‘freguesia’, vence com autoridade e cola na liderança

FOTO: MARCELO CORTES/FLAMENGO

Por: Paula Mattos

Flamengo e Vasco entraram em campo na noite desta quinta-feira (04), em jogo válido pela 34ª rodada do Campeonato Brasileiro. A partida foi disputada no Maracanã, às 21h (horário de Brasília), e o Mais Querido buscava uma vitória para se manter vivo na briga pelo título nacional.

Sem Diego Alves, que sofreu nova lesão, e Rodrigo Caio, ainda em processo de recuperação, Rogério Ceni decidiu manter Willian Arão na zaga e manda a campo o seguinte time titular: Hugo, Mauricio Isla, Gustavo Henrique, Willian Arão e Filipe Luís; Gerson, Diego Ribas, Everton Ribeiro e Arrascaeta; Bruno Henrique e Gabigol.

O JOGO:

O jogo começou com o Flamengo colocando em prática o que faz de melhor: trabalhar a bola. Com administração da posse, o Rubro-Negro ocupava o setor defensivo do Vasco e pressionava o adversário rumo ao primeiro gol. Aos 11 o Mengo teve uma excelente chance com Gabigol, mas o chute parou na defesa de Fernando Miguel.

Nos primeiros 20 minutos, o Flamengo foi melhor. Com paciência para trabalhar a bola, o Mengo encontrava os espaços e criava boas jogadas na tentativa de abrir o marcador.

Aos 28, QUE JOGADA DE GERSON! No talento individual, o Coringa deixou dois na saudade, comandou um lindo lance no Maracanã e, por pouco, não marcou um golaço. Mais uma vez, Fernando Miguel salvou o Vasco do primeiro gol.

Aos 43 minutos, pênalti claríssimo para o Flamengo. Bruno Henrique foi empurrado por Léo Matos e, além da penalidade máxima, o lance era para cartão vermelho direto. No entanto, a arbitragem assinalou apenas o penal e não deu nem cartão amarelo. Na bola, Gabigol. LEVANTA A PLAQUINHA! Com uma frieza magistral, Gabi fez uma cobrança impecável e balançou 71as redes de Fernando Miguel. Flamengo 1×0 Vasco.

O início do clássico dos milhões foi marcado por um Flamengo que tomou a iniciativa em todo o duelo e impôs o seu ritmo, garantindo 71% de posse de bola, 10 finalizações, sendo quatro no gol. O Mais Querido também trocou 292 passes e acertou 258. Destaques para as atuações de Gerson, que comandou o meio campo, e Gabigol, que marcou o primeiro do Fla.

Para a segunda etapa, o Flamengo voltou sem alterações e viu um Vasco com três substituições: saíram Léo Matos, Benitez e Gabriel Pec, para as entradas Carlinhos, Juninho e Catatau, respectivamente.

O Vasco, que voltou com uma postura diferente pro segundo tempo e começou a incomodar o Flamengo, teve uma grande chance aos 5 minutos, com Pikachu e Cano, mas não passou de um susto.

Com a ‘nova postura’ do Vasco, o Flamengo assumiu a posição de jogar no contra-ataque e, ainda assim, conseguiu dominar o confronto e criar boas oportunidades na tentativa de ampliar o placar. Aos 20 minutos, primeira substituição no Mais Querido: saiu Diego Ribas, amarelado e sentindo, para a entrada de João Gomes.

Na jogada seguinte, falta frontal e perigosa para o Vasco. Pikachu, na bola, mandou no cantinho do gol do Mengo, mas parou na defesa de Hugo. Na resposta, o Flamengo chegou com perigo. Bruno Henrique rolou para Gerson que, de frente para o gol, tomou a decisão errada. Ao invés de bater pro gol, passou para ninguém e desperdiçou a oportunidade.

Aos 29, substituição dupla no Mengo: saíram Arrascaeta e Gabigol para as entradas de Vitinho e Pedro, respctivamente. Logo após a entrada, Pedro fez boa jogada, deu um lençol e garantiu um escanteio. Everton Ribeiro cobrou na cabeça de Bruno Henrique, que só teve o trabalho de estufar as redes de Fernando Miguel. GOOOOOOL DO REI DOS CLÁSSICOS! Flamengo 2×0 Vasco.

As ações do segundo tempo foram mais equilibradas do que na etapa inicial, mas o Flamengo continuava buscando ampliar o marcador para se manter vivo na briga pelo título.

Aos 42 minutos, mais duas alterações no Fla. Gerson, que deixou o campo chorando após torcer o tornozelo, foi substituído por Pepê. E Bruno Henrique saiu para a entrada de Michael. Sem mais surpresas no clássico, o Flamengo, com tranquilidade, venceu mais uma, manteve o retrospecto favorável sobre o freguês e colou na liderança do Brasileirão.

Coluna do Fla