Mercado exterior pode dificultar chegada de Felipão

O Flamengo ficou sem técnico desde a demissão de Paulo Cesar Carpegiani e Jayme de Almeida no decorrer desta quinta-feira (29). Por isso, o nome em consenso entre os diretores e conselheiros do clube foi de Felipão, ex-técnico da Seleção Brasileira e pentacampeão do mundo. O treinador é visto com perfil que pode ‘sacudir’ o elenco rubro-negro e recuperar o ânimo de seus principais jogadores.

Entretanto, a comissão técnica sabe que não será fácil contar com o treinador. Desde sua demissão em dezembro de 2017, quando ainda era comandante do Guangzhou Evergrande, seu nome é especulado no Ninho do Urubu. Luiz Felipe Escolari viaja na próxima terça-feira para Portugal e Espanha, onde irá participar de debates sobre a Copa do Mundo de 2018, onde deve permanecer até abril.

Na China, onde conquistou diversos títulos pelo Guangzhou, seu nome é especulado constantemente. O treinador já deixou claro que quer treinar algum clube neste ano. Por conta das dificuldades, outros dois nomes foram apresentados:  Dorival Júnior, recém-demitido do São Paulo, e Cuca. Os estrangeiros, por ora, estão fora dos planos.

Por agora, Maurício Barbieri comandará os treinos interinamente. O Flamengo só volta a campo no dia 14 de abril, quando estreia contra o Vitória, no Rio, pelo Campeonato Brasileiro. A diretoria espera acertar com um novo comandante pelo menos com até cinco dias antes da estreia, para ele ter tempo de preparar o time, visando o confronto contra o Santa Fe (COL), no dia 18, pela Copa Libertadores. As informações são do Lancenet.

Fonte: Coluna do Flamengo

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*