Fla sai na frente, mas vacila e apenas empata em casa conta o River Plate

Sem contar com a força da torcida nas arquibancadas, o Flamengo deu início à sua trajetória em busca do título da Copa Libertadores, encarando o River Plate. Como era esperado, a partida começou demonstrando grande equilíbrio, entretanto, o Fla teve dificuldade para ter a bola em seus pés no campo ofensivo. Os argentinos, por sua vez, tentavam chegar ao gol com a velocidade de Nícolas De la Cruz.

Com Henrique Dourado apagado, o rubro-negro não conseguia trabalhar a bola no ataque para abrir espaços. Atrelado a isso, a falta de criatividade dos meio campistas foi grande na etapa inicial. O adversário do Fla demonstrava mais paciência, porém, não conseguia criar chances de abrir o placar.

Como consequência da improdutividade dos times, nenhum se aproximou de marcar o gol, de fato. Entretanto, dois lances conseguiram acordar o torcedor: pelo lado do Mengão, o zagueiro Réver cabeceou bola alçada na área e o defensor do River desviou com a mão, em toque claro. O árbitro não marcou a penalidade e causou irritação de atletas do Fla. Os hermanos, por sua vez, tiveram em outra bola parada a chance de gol. Aos 44 minutos, Rodrigo Mora bateu falta de longe e obrigou Diego Alves a fazer boa defesa.

Em quesito futebolístico, a primeira etapa deixou muito a desejar, não à toa, o lance que mais chamou atenção foi a disputa de bola entre De la Cruz e Jonas, na qual o volante rubro-negro acertou cotovelada no atacante adversário, que acabou perdendo um dente.

O Flamengo voltou para a segunda etapa sem alterações. A postura da equipe, no entanto, era mais ativa. Aos 8 minutos, a atitude surtiu efeito: Diego driblou o marcador dentro da grande área e foi derrubado. Sem pestanejar, a arbitragem assinalou pênalti e Henrique Dourado não perdoou em sua especialidade.

A comemoração do Fla, no entanto, durou pouco. Dois minutos após abrir o placar, o Mengão sofreu empate em gol irregular. Após falta cobrada na área, o atacante Rodrigo Mora apareceu sozinho para desviar e tirar Diego Alves do lance. O jogador estava à frente da linha da bola, mas o bandeira nada assinalou e o gol foi validado.

Jogando em casa e precisando da vitória, o rubro-negro se lançou ao ataque e passou a dar espaço para contra-ataques do adversário. Enfim, o jogo passou a ter emoção, e o Mengão voltou à frente no marcador aos 20 minutos. Mostrou sua classe e acertou lindo lançamento para Everton Cardoso. O camisa 22 dominou e girou batendo bonito, para estufar as redes.

Após o gol do Fla, o River Plate voltou a se lançar ao ataque. Enquanto isso, Rômulo entrou na partida, no lugar de Jonas, que saiu por problema físico. Pouco antes, Pará também havia sido sacado para a entrada de Rodinei, dando mais velocidade à lateral.

Os últimos minutos de partida foram de pressão argentina. Aos 36 minutos, o River teve escanteio na área e Scocco cabeceou com endereço, mas Réver apareceu na pequena área para salvar o que seria o gol de empate do adversário. Aos 43, o time visitante conseguiu o empate. Em bola sobrada no meio da rua, Mayada acertou um chutaço e igualou o marcador.

O empate em 2 a 2 é um placar considerado ruim pelo Flamengo, uma vez que não conseguiu fazer valer o fator casa. Agora o clube espera a partida entre Emelec e Santa Fé, nesta quinta (01), para saber como ficará sua situação no grupo D.

Fonte: Coluna do Flamengo

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*